ETX90 EC


O ETX90 - " O Pequerrucho"

Aqui vai estar o mais recente tema no qual me farto de estourar dinheiro....

Este telescópio tem uma legião de defensores e retractores, mas o que interessa é que intimamente todos gostariam de ter um. Isto é depois de discussão bastante acesa que assisti no news://sci.astro.amateur cheguei á conclusão que este telescópio para o tamanho é extremamente bom.

O Bom

Qualidade óptica excelente. Especialmente em céus escuros. E digo isto depois de ver telescópios com maior abertura ( 6" 8" e 10"). A observação de objectos com bastante brilho é excelente (Sol (com o filtro apropriado) planetas, Lua, nebulosas, enxames abertos, e estrelas duplas (binárias). E também muito bom em observação diurna (ver a vizinha e passarada).

Muito portátil . Pesa cerca de 3 quilitos. O telescópio devidamente embalado mais a mala de acessórios e tripé cabem perfeitamente na bagageira de um automóvel utilitário. Em cinco minutos está pronto a utilizar.

Tem um computador (vendido à parte) que pode iniciar rapidamente o seu utilizador nas maravilhas que o céu oferece. Tem um base de dados com mais de 14000 objectos que depois de devidamente alinhado, servirá para posicionar o telescópio automaticamente e acompanha-los (embora duvide que consiga ver 10% convenientemente). Só telescopios que custam 4 vezes é que ainda dispõe disto.

O Mau

Os motores de declinação (sobe/desce) e ascensão (direita/esquerda) e o sistema de engrenagens fariam envergonhar um carrinho de pista. O telescópio ainda não tinha 2 horas de uso quando tive que desmontar aquela gaita para limpar e ajustar.

O preço. É ainda exagerado cá em Portugal.

Conclusão

É realmente necessário um telescópio com maior abertura para observar galáxias e muitas das nebulosas como deve ser, porém, também é verdade que os objectos mais espectaculares em qualquer telescópio amador são perfeitamente observáveis por esta pequena maravilha. Acerca das partes mecânicas presumo infelizmente que desmontar o telescópio de vez em quando, faz parte do hobby. MAS tendo em consideração o preço/qualidade, portabilidade e peneirice se torna bastante atractivo.

Algumas fotografias:

Para ver este telescópio ao vivo é melhor ir a uma festa de estrelas tais como a Astrofesta ou as ERA da ANOA

Especificações (do manual)

Optical design Maksutov-Cassegrain
Primary mirror diameter 96mm (3.78") Clear aperture 90mm (3.5")
Focal length 1250mm Focal ratio (photographic speed) f/13.8
Near focus (approx) 11.5 ft (3.5m)
Resolving power 1.3 arc secs
Super multi-coatings standard
Limiting visual stellar magnitude (approx) 11.7
Image scale 1.16°/inch
Maximum practical visual power 325X
Optical tube dimensions (dia. x length) 10.4cm x 27.9cm (4.1" x 11")
Secondary mirror obstruction (dia.; %) 27.9mm (1.1"); 9.6%
Telescope mounting fork type; double tine
Setting circle diameters Dec: 3.5" RA: 7"
Input voltage 12-volts DC
Hemispheres of operation north and south, switchable
Electronic controller 4 speed, both axes
Bearings:  
Altitude UHMW Polyethylene
Azimuth PTFE
Materials  
Tube body aluminum
Mounting high-impact ABS, aluminum-reinforced
Primary mirror Pyrex glass
Correcting lens BK7 optical glass, Grade-A
Telescope dimensions 38cm x 18cm x 22cm (15" x 7" x 9")
Telescope net weight: (incl. Electronic Controller & batteries) 3.5kg (7.8 lbs)
Telescope shipping weight 5.6kg (12.3 lbs)

Acessórios

Acessório Função
AutoStar #497 Este é o computador opcional que deveria dár a capacidade de GOTO ao ETX...
Electric Focuser Meade Motor para focar, dá bastante jeito e reduz a vibração
Deluxe Tripod ETX #883 O tripé ajustável para com montagem azimutal ou
Kendrik Controler + 3.5" Heater O aquecedor de tubo optico e de oculares, dá para controlar até 4 cintas de aquecimento.
Battery 12V 7amph Sem isto nada funcionava. Recarregável. Dura pelo menos 20 horas com tudo a funcionar.
Meade Plossl 4000 40mm  
Meade Plossl 4000 26mm LP  
Meade Plossl 4000 15mm  
Meade Plossl 4000 9.7mm  
Barlow 2x Meade  
Orion EZFinder  
Rigel QuickFinder  
Lumicon Deepsky  
Scopetronix Filters (4)  
Meade 45º Adapter #932  
Meade Camera Adapter T-64  
Rigel Focus 3.5"  
Thousand Oaks type 2+ 3.5" Solar Filter Para ver o Sol sem ficar com um olho à Camões. Passa 0,0001 % da Luz.
Dew shield Scopetronix  
Rigel Skylite  
Camera Adapter to ETX Tripod Scopetronix  
Cable Lighter 12V->Battery  
Cable ETX->Lighter 12V  
Power Cable 10m #932 Cabo para ligar ao isqueiro do carro em caso de emergência
LensPens  
Caixa de Telescopio  
Caixa de Acessórios  

Links

Weasner's Mighty ETX Site - Para tudo o que se deseja saber sobre a gama de telescópios MEADE ETX. Aqui encontra-se toda a espécie de opiniões (boas e más), todos os truques, todos os acessórios (oculares, tripés, caixas, filtros), e todas as invenções malucas que desde há três anos têm sido reunidas neste excelente (quase único) site.

Meade Corporation 06-02-2000 - Para saber o que a Meade diz deste telescópio. Não acreditem nas fotografias que são mostradas , pois só é possível ver aquele detalhe em fotografia/ccd de longa exposição (e não usaram p ETX de certeza ;)).

Manual Não Autorizado do ETX

etxecautostarO ETX90 é provavelmente um dos telescópios vendidos no mundo, e talvez um dos mais incompreendidos. É um telescópio extremamente portável, oferece uma qualidade óptica muito boa e é particularmente excelente na observação da Lua, do Sol (com filtro apropriado), e dos planetas gasosos Saturno e Júpiter. Também tem bastante utilidade na observação de estrelas duplas, estrelas variáveis e enxames abertos. No que diz respeito a galáxias, nebulosas planetárias e nebulosas difusas a sua performance é um pouco limitada devido à sua pequena abertura.
È preciso não esquecer que se trata de um telescópio com 90mm de abertura, e não há milagres, mas proporciona imagens de muita qualidade para a abertura e o preço.

Existem duas versões deste telescópio disponíveis: O ETX90 RA, que foi lançado em 1996 e que apenas possuia um motor de Ascenção Recta, e incluia três pés para o montar em modo equatorial numa mesa. O ETX90 EC começou a ser comercializado em 1998 e dispõe de 2 motores e um comando de mão simples, que permite controlar o telescópio nos dois eixos com 4 velocidades diferentes , tanto em modo alt-azimutal, como em modo equatorial, podendo ser adquirido opcionalmente o computador controlador Autostar, que substítui o comando standard, e permite dar a capacidade de GOTO (ir para). Os pés de mesa nesta versão também são opcionais. As ópticas e ocular de 26mm fornecidas são idênticas.

Ao contrário do que habitualmente se acredita, o ETX apesar do seu tamanho não é para iniciantes, um reflector (newtoniano) de preço equivalente e com maior abertura (por exemplo de 20 cm ) e mais simples de utilizar, mostrará sempre mais, mas no entanto não necessariamente melhor. A utilização de um telescópio de pequena abertura (ETX ou outros) é sempre mais difícil, pois necessitam de maior experiência da parte do seu utilizador para se conseguir observar detalhes que não são imediatamente óbvios a quem está a começar a conhecer os céus. Por outro lado, um instrumento de maior abertura torna a busca e observação de objectos de espaço profundo bastante mais fácil para quem está a iniciar, pois são bastante mais evidentes (mais brilhantes). Na minha opinião, para o mesmo custo prefiro a maior qualidade óptica num instrumento de menor abertura do que menor qualidade óptica e maior abertura. Para além da abertura , a experiência do observador é muito importante. É usual para a mesma qualidade óptica um observador experiente conseguir ver num telescópio de 15cm mais detalhes do que um observador com menos experiência e um telescópio 25cm. Como já li por aí na Net, "uma panela maior não faz um cozinheiro melhor", mas ajuda....

Este pequeno guia tem como objectivo dar conselhos práticos para uma efectiva utilização deste telescópio. O ETX não é um brinquedo, trata-se realmente de um verdadeiro telescópio robótico com capacidade GOTO com o qual apenas se poderia sonhar há alguns anos atrás. Ora é neste ponto que se calhar alguns podem torcer o nariz, pois na realidade é na parte róbotica que surgem a maior parte dos problemas. A parte dos motores foi a meu ver um bocado descurada, tem demasiadas peças em plástico o que torna a montagem bastante sujeita a folgas e deslizamentos e às vezes até a quebrar. A base também é de plástico o que torna um bocado flexível na fixação ao tripé, não ajudando muito à solidez . Isto tudo junto resulta num telescópio um pouco barulhento, (provavelmente mais barulhento que os seus primos LX maiores), mas julgo que não dá para acordar o vizinho se tiver a janela fechada :).

Todos estes problemas podem ser amenizados e alguns até resolvidos de uma ou de outra forma, o que geralmente implica em gastar mais dinheiro :( ). Este manual é baseado na experiência pessoal e principalmente na experiência das centenas de utilizadores do ETX que escrevem problemas e soluções relacionados no site de Mike Weasner em http://www.weasner.com, sem o qual haveria de certeza muita gente enrascada (eu incluído) por esse mundo fora.

Características gerais

etx90opticsTelescópio tipo Maksutov-Cassegrain (Mak para os amigos) de 90mm de abertura livre (diâmetro do espelho primário) e 1250 mm de comprimento focal tendo o um rácio de f/13.8. O tubo é de alumínio pesando cerca de 3.5 Kg. A sua montagem é do tipo "garfo" (fork) em plástico ABS reforçado com alumínio, adicionando mais 2 quilogramas ao total.
Para além das lentes e espelhos tem adicionalmente uma diagonal interna móvel que desvia a imagem para o porta-oculares ou então para o orifício no fundo do tubo óptico. Todos os espelhos e lentes têm o tratamento SMC "Super Multi-Coatings" que de resto são as que são aplicadas na série LX.

etx_cpA montagem é praticamente toda feita de plástico, desde os braços até à base o que não abona nada em favor da rigidez, sendo um pouco flexível e para o tamanho é muito barulhenta. No seu interior é constituída por um placa de integrados e motores que fazem girar as diversas rodas dentadas e veios sendo algumas feitas em bronze e outras em plástico.
Na base está localizado o painel de controlo onde se situa a ficha de alimentação de 12 volts (4) e o botão de ligar/desligar com o respectivo LED (1 e 5). O comando de mão ou o Autostar liga na ficha RJ-45 com a denominação HBX (3), restando duas portas auxiliares (2) com o nome AUX onde só se pode ligar até ao momento o focador electrico opcional (Motofocus #1244).

Utilizando o ETX tal como sai da caixa...

O ETX vem embalado numa caixa bastante colorida, cheia de fotos de imagens que nunca poderão ser vistas, especialmente concebida para iludir compradores casuais J - pelo menos não diz que aumenta 600x!. A caixa de cartão embora seja inconveniente de transportar, protege eficazmente o telescópio mesmo havendo transportes frequentes ( o meu viveu 6 meses com essa caixa). Lá dentro vêm devidamente acondicionados o telescópio (tubo óptico e montagem), uma ocular de 26mm, um comando de mão remoto e duas chaves de fenda hexagonais. O apontador vem embalado separadamente.

etx_cuAntes de tudo é necessário comprar 8 (oito) pilhas de preferência alcalinas de 1.5V e do tamanho AA que se colocam na base para alimentar os motores eléctricos, obrigatório pois nem sequer existe alternativa de comando manual. Os furos 1 e 3 são os pontos onde se atarracham as pernas opcionais ou então o tripé de campo.

Depois de inserir as pilhas, colocá-lo numa base sólida, inserir a ocular, inserir a ficha do comando de mão e montar o buscador. É aconselhável entretanto ligá-lo e experimentar os motores. È necessário também apertar o fixador de declinação que está localizado no braço direito e o fixador de ascensão que está localizado na base. Não é necessário apertar muito, apenas o suficiente para que haja tracção. É habitual apertarem demasiado, principalmente quando alguns ETX por excesso de massa nas superfícies dos fixadores têm a tendência para "escorregar". Tal deve ser resolvido de outra maneira, que passa pela a limpeza dessas superfícies, que será objecto de um anexo a este manual.

Alinhar o buscador

O primeiro passo a executar é o alinhamento do buscador com o tubo óptico. O buscador é fixo e alinhado com 6 parafusos e para dizer a verdade acho que até é um bocado trabalhoso colocá-lo no sítio.
Nas primeiras vezes, é conveniente que este passo seja executado durante o dia, e que o alvo esteja pelo menos a mais de 150-200 metros, quanto mais longe melhor.(eu costumo usar o topo de um poste de alta-tensão), devendo ser posteriormente afinado em estrelas. Com o transporte do telescópio de um lado para o outro, é possível que o buscador fique um pouco desalinhado, mas não é absolutamente necessário que fique perfeitamente alinhado com o centro do retículo (cruz), aliás até é preferível que seja um bocado ao lado para não "tapar" a estrela/objecto que estamos a querer apontar,(as linhas do retículo são algo grossas). Apertar os parafusos firmemente, de modo a que não haja folgas e que fique no sítio, e não se ralem com as arranhadelas que os parafusos provocam, porque infelizmente são inevitáveis. A focagem do apontador standard também é um pouco chatinho, pois é feita com dois anéis que se apertam um contra o outro na parte da frente, deve-se tentar focar para o infinito. O buscador de 90 graus opcional é montado e ajustado de forma semelhante, mas a focagem é feita muito mais convenientemente rodando um anel na ocular.

Passos a executar para alinhamento do buscador:

  1. Colocar o ETX numa base sólida, por exemplo o beiral da janela ou então no tripé.
  2. Apontar o tubo óptico para algum objecto a 150 ou 200 metros, quanto mais distante melhor, centrando a imagem o melhor possível
  3. Com algum cuidado para o telescópio não se mexer ir apertando ou desapertando os parafusos do apontador até o objecto ficar centrado e bem fixo.
etx_busca

Depois de alinhado o buscador já é possível apontar manualmente o telescópio para qualquer objecto que deseje observar - diurno ou nocturno . É aconselhável primeiro treinar um bom bocado a apontar e observar objectos durante o dia.

AVISO MUITO IMPORTANTE - NUNCA, MAS NUNCA APONTAR PARA O SOL, nem sequer olhar através do apontador, pode causar danos irreversíveis ao olho, tais como cegueira total.

Para quem nunca utilizou telescópios, uma das maiores dificuldades que virá a ter será apontar o telescópio para qualquer coisa, o campo real proporcionado pelo ETX90 com a ocular de 26mm (ou por outras palavras a área que realmente estamos a observar) é de 1 grau, que comparado com o campo de visão dos nossos dois olhos que é cerca de 140 graus é bastante diminuto. Daí a grande importância do apontador, que no caso do ETX tem um campo real de cerca de 6 graus, que pode não parecer muito, mas serve de grande ajuda.
Ao contrário dos binóculos e algums telescópios refractores, a imagem não é direita*. O ETX90 mostra a imagem invertida da esquerda para a direita (ou vice-versa), o que torna a sua utilização diurna algo confusa, pois viramos o tubo para a esquerda e a imagem vai para direita. Para uma utilização diurna existe um acessório chamado adaptador de 45 graus, que se enrosca atrás do tubo óptico que corrige a imagem, mas só se deve utilizar para observação diurna, pois não permite que o tubo óptico se possa inclinar mais de 60 graus, limitando assim bastante a sua utilização para a observação astronómica.

*A razão da imagem dos telescópios ser invertida tem a ver com o design do sistema óptico. É prática corrente os telescópios não corrigirem a orientação da imagem, pois seria necessário adicionar prismas ou diagonais no caminho da luz, é que quantos menos elementos ópticos houver, menor será a perda de transmissão de luz. A orientação da imagem tem pouca relevância na observação astronómica, com a possível excepção da Lua - é preferível uma imagem com mais brilho e contraste de pernas para o ar, do que uma imagem direita com menos brilho e contraste.

Conhecer melhor o controlador eléctrico

etx_comand O controlador eléctrico fornecido é bastante básico tendo as teclas de cursor cima/baixo e esquerda/direita, as teclas de focagem que só funcionam quando o focador eléctrico opcional está montado.

A tecla "speed" (velocidade) - permite seleccionar a velocidade dos movimentos do cursor e também da velocidade de focagem quando se tem também montado focador eléctrico opcional. Do LED mais acima para o mais abaixo temos as seguintes velocidades:

A tecla "mode" é para ser utilizada quando ETX está a ser utilizado em modo polar, tema que será tratado mais à frente.

A primeira observação

O primeiro objecto astronómico que geralmente é observado é invariavelmente a Lua. È grande, brilhante e fácil de encontrar. É também é precisamente um dos melhores objectos que se pode observar como ETX. A ocular de 26mm enquadra especialmente bem os seus cerca de 30 arcminutos (meio grau), permitindo ver a totalidade do disco (se visível), as crateras, as montanhas, os vales etc... È um momento inesquecível....

etx_lua

Esta será a imagem que observará quando apontar o ETX com a ocular de 26mm. Esta fotografia não faz nenhuma justiça à imagem que o ETX proporciona...

Outros objectos relativamente fáceis de encontrar serão por exemplo a Galáxia de Andrómeda (Messier 31), a Grande Nebulosa de Orion (Messier 42) e os gigantes gasosos Júpiter e Saturno, isto é, se na altura se encontrarem visíveis.

ETX - Toda a verdade...

O ETX90 utilizado assim neste modo mais básico torna-se demasiado limitado e até demasiado incómodo de usar. Para quem não tem experiência a apontar telescópios, até apontar para a Lua se torna num verdadeiro desafio à paciência e cedo descobre que os alvos se "mexem" sendo necessário estar sempre a corrigir. O apontador simplesmente é inadequado para observação astronómica, sendo praticamente impossível de utilizar quando o tubo se encontra inclinado mais de 45°, o que limita em muito a localização de objectos acima dessa inclinação. A ocular que vem fornecida apesar de ter boa qualidade não é suficiente para observar com mais pormenor por exemplo as crateras ou vales lunares, sendo necessário mais amplificação.
Apesar de tudo, com algumas adições pode-se tornar o ETX utilizável e de longe muito mais prático e confortável de utilizar, que será o tema do próximo capítulo...

Acessórios e modificações

Um dos factores que mais contribui para a frustração na utilização deste telescópio é o seu apontador também chamado buscador. O apontador do ETX à semelhança de grande parte dos telescópios é inadequado, simplesmente não é adequado a uma utilização astronómica, tem uma posição bastante próxima do porta-oculares e é praticamente impossível utilizá-lo quando o tubo do telescópio tem uma inclinação superior a 45 graus.

É quase absolutamente necessário substituí-lo por outro apontador, que por "acaso" é vendido como acessório opcional - o right-angle viewfinder #232 - (o ETX125 já vem equipado com este.). Este apontador tem a vantagem de ter uma diagonal de 90 graus, o que permite ser utilizado confortavelmente em qualquer inclinação e ver a imagem com a mesma inversão do tubo óptico principal (a imagem está invertida verticalmente da esquerda para direita).

Um outro acessório bastante conveniente é um apontador que projecte um ponto de luz (geralmente vermelha), ou melhor ainda 2 ou 3 círculos, sem qualquer magnificação. Temos por exemplo o Rigel Quickfinder e o Orion EZfinder, que penso que são bastantes úteis para apontar o telescópio facilmente para uma estrela ou planeta visível a olho nú. Estes apontadores dão também têm bastante utilidade no alinhamento do telescópio. Recomendo _vivamente_ a adição de um destes acessórios, pois ajudam a encontrar rapidamente os objectos, mesmo para os astrónomos mais experientes e especialmente porque funcionam mesmo quando tudo falha

Também é indispensável um tripé regulável em altura que proporcione uma posição firme e cómoda ao telescópio. O tripé de campo da Meade é uma das melhores escolhas, se não a ínica, existindo alternativa da marca JMI. É possível utilizar um tripé de câmara de vídeo, que seja robusto, mas infelizmente os ETXs têm dois parafusos de fixação com rosca não-standard, tornando a sua montagem incompatível com esse tipo de tripés , pelo que se torna necessário comprar um adaptador específico, que até agora só encontrei à venda nos Estados Unidos. Todos estes tripés são de alumínio e cabeça de montagem em ferro sólido. De salientar que o tripé da Meade poder ser utilizado tanto em modo alti-azimutal, como em modo equatorial. Os apontadores opcionais de 1x, tais como o Quickfinder ou Ezfinder podem ser afinados mesmo de noite, visto serem relativamente fáceis de alinhar, pois dispõem de 1 ou 3 parafusos que dão para a ajustar facilmente. O processo é apontar o telescópio para uma estrela brilhante e centrá-la no buscador.

O Tripé

acessorio_meade_tripodEu uso o tripé com as pernas quase totalmente recolhidas, o que me permite observar sentado. Embora possa parecer um bocado fora de comum observar sentado, permite ter o conforto que é essencial para aguentar sessões com duração maiores que uma hora. Por exemplo, experimentar ler um livro em pé, mudando a inclinação do livro constantemente, de modo a ter que inclinar o tronco e a cabeça para o conseguir ler correctamente - deve ser um bocado cansativo não ?. Ora a observação de objectos com telescópio requer ainda maior concentração, sendo quase obrigatória uma posição _muito_ mais confortável e em descanso. É quase garantido que se ganha uns centímetros de abertura apenas por estar na posição de sentado!.
Embora tenha uma aspecto robusto, não evita tremuras quando se está a observar com grandes amplificações devido ao facto de ser feito de alumínio que tem tendência a transmitir muito as vibrações. A base do ETX é apenas fixada em dois pontos e infelizmente é feita em plástico o torna a sua base e fixação muito flexível.

acessorio_celvspUm modo de minimizar estas vibrações é através da aquisição de pequenas rodelas anti-vibração da Celestron que reduzem em muito o tempo de vibração.


O Autostar

autostar2O Autostar é um computador/controlador disponível como opção que permite ao ETX a capacidade de GOTO (ir para) e consequente acompanhamento sideral de objectos. Esta capacidade tem sido muito discutida no meio amador, havendo os "puristas" que advogam que é necessário que o utilizador conheça o céu, e que deverá poder encontrar os objectos sem qualquer ajuda destas "modernices" que na sua opinião retiram o prazer ou realização do acto de procura, e também permitem contornar a indispensável aprendizagem inicial. Ao passo que a outra "facção" defende que não é necessário passar pelo demorado processo de encontrar os objectos "á mão" e que se consegue satisfação mais rapidamente sem ter passar pela experiência de não conseguir ou então demorar a conseguir encontrar um objecto por mais simples que seja. Ver aqui o Manual Não Autorizado do Autostar #497 .

Estou de acordo de igual modo com as duas vertentes, pois é necessário e importante conhecer o céu, embora por outro lado um telescópio GOTO possa-nos ajudar a localizá-lo mais depressa, especialmente se não temos nenhum tutor em carne e osso para nos orientar. A capacidade GOTO tem vantagens em locais em que temos o céu parcialmente obstruído, o que torna difícil utilizar o método tradicional de "saltar de estrela em estrela". Já para não falar dos muito objectos que são quase invisíveis para o ETX90, que só depois de estar 2 ou 3 minutos a olhar para ele, e que o "vemos", especialmente nos primeiros tempos.

Alimentação

acessorio_einhellEmbora o ETX+Autostar funcione bem com as 8 pilhas alcalinas durante 15 a 20 horas é bastante recomendado que se arranje outro meio de alimentação, pois as pilhas têm tendência a perder voltagem com baixas temperaturas. Embora o autostar mostre a percentagem de carga das pilhas, não é no entanto fiável, devendo ser mudadas (ou recarregadas) assim que o mostrador do autostar mostre variações de luminosidade, especialmente quando está a ir para algum objecto.
O autostar com pouca alimentação pode ter comportamentos bastante estranhos, tais como perda de precisão, falhas de motor (Motor Failure) ou movimentar-se descontroladamente.

As alternativas são um transformador de 12v DC com pelo menos 1amp e que seja regulado, que tem o inconveniente de só se poder utilizar junto a uma tomada de electricidade. Outra alternativa é adquirir um cabo que ligue o ETX ao isqueiro do automóvel que por sua vez tem o inconveniente de se ter que possuir um automóvel e que esteja relativamente perto do local do telescópio, e se bateria do carro não estiver famosa ter o cuidado par não ficar a pé.

E por último a solução mais prática e portátil: Uma bateria recarregável com um mínimo de 7amph. Esta baterias encontram-se à venda em lojas de acessórios automóveis e foram concebidas para ajudar automóveis a "arrancar". Vem com pinças para ligar aos bornes das bateria e geralmente com duas saídas para ficha de isqueiro. Este tipo de bateria dá para dezenas de horas de utilização contínua e suporta melhor as baixas temperaturas. A segunda saída de isqueiro dá jeito para ligar algum sistema de resistências para combater a humidade, por exemplo o sistema Kendriks.

Manual Não Autorizado do Autostar #497

O Autostar é um pequeno computador de mão que permite dar a capacidade GOTO (ir para..) à gama de telescópios ETX e LX90 da Meade que permite ir automaticamente para objectos astronómicos sejam eles galáxias, planetas, asteroides ou cometas e seu posterior acompanhamento sideral, também chamado seguimento. Adicionalmente tem a função de controlar o também opcional motor de focagem eléctrico.

A utilização do autostar pressupõe que o telescópio esteja numa determinada posição inicial e que o Autostar esteja devidamente configurado.

Ao contrário do que se possa pensar, o autostar não dispensa algum conhecimento do céu, pelo menos das constelações e de algumas estrelas mais brilhantes, que no mínimo permitem alinhar o telescópio e verificar se realmente está a apontar para o objecto pretendido ou pelo menos para sua vizinhança. Os sistemas GOTO não devem na minha opinião substituir o conhecimento do céu, mas sim ser uma ferramenta bastante efectiva para aprender o céu mais rapidamente.
Uma outra vantagem menos óbvia é a de ser possível localizar e observar objectos em céus poucos escuros, que devido à relativa falta de estrelas para se proceder ao tradicional (e manual) "star-hopping" (saltar de estrela em estrela) o que torna a tarefa de os localizar bem mais fácil.

O comando

Antes de tudo convém familiarizar melhor com o comando começando por identificar as teclas e portas de ligação que estão presentes.

asfull asfullnight
Autostar #497 (diurno e nocturno)

asdisplayO Autostar é constituído por um visor com duas linhas tendo cadauma dezasseis carateres fluorescente convenientemente iluminados a vermelho. As 20 teclas são feitas de borracha, sendo também elas retro-iluminadas com luz vermelha o que permite uma muito boa visualização no escuro sem alterar a visão nocturna.

asopkeysAs três teclas logo abaixo do visor "ENTER", "MODE" e "GOTO", que têm respectivamente a função de aceitar a opção correntemente seleccionada, sair para opção anterior e executar o "ir para" o objecto correntemente seleccionado. Estas teclas ainda podem ter outras funções em diferentes opções.

ascursor Logo abaixo destas três teclas temos um conjunto de 4 teclas com setas (teclas de cursor) que tem diferentes funções consoante a situação em que são aplicadas. Geralmente tem a função de fazer subir/descer e virar à esquerda/direita o tubo óptico, mas caso esteja instalado o focador eléctrico e em modo de focagem permite também focar/desfocar.

askeysDe seguida vem o teclado numérico (0 a 9), que tem três funções: Seleccionar a velocidade de movimento do tubo óptico, seleccionar a velocidade do motor de focagem (se instalado) e finalmente para inserir números que designem um objecto de um determinado catálogo (Messier,NGC etc..) ou outros parâmetros tais como os dados de um novo cometa. A tecla '0' tem a dupla função de ligar o LED no topo do autostar.

ashotkeusFinalmente existem mais duas teclas com seta para cima/baixo, que permitem escolher a opção posterior e anterior respectivamente. A tecla '?' permite ao autostar mostrar informação relativa ao objecto que está no momento selecionado.

astopasboottomNa parte inferior tem duas fichas para ligar o cabo de contrôle ao telescópio e uma outra ficha que permite a ligação através de um cabo série a um computador (PC ou handheld) para contrôle ou actualização do software do próprio autostar. Na parte superior existe um pequeno LED vermelho que permite ler cartas ou manuais.

Algumas característica técnicas

Processador Motorola 68HC11 8MHz
Memória (Modelo #495) 512KB (Modelo #497) 1MB
Teclado 20 teclas alfanuméricas em borracha iluminadas
Visor 2 linhas, 16 carateres LCD com Backlight e LED vermelho
LED vermelho Sim
RS-232 Sim (ficha RJ11)
Cabo Enrolado de Conexão 24" (1,2 m)
Dimensões Comprimento 16.6cm (6.56") Largura máxima 8.0cm (3.19") Largura mínima 5.7cm (2.25") Profundidade 2.1cm (0.81")
Peso 0.12kg (0.26 lbs)

Configuração

O autostar conecta-se ao ETX através da porta HBX - nem existe lugar para enganos pois a ficha só serve nessa porta - é bastante aconselhável que o ETX esteja desligado quando se conecta/disconecta esta ou outras fichas. Na ficha AUX da direita está conectado o motor elétrico de focagem opcional.

as_controlpanel

Configuração inicial

Quando se utiliza pela a primeira vez o autostar acabadinho de sair da caixa, é iniciado um procedimento no qual temos que especificar as coordenadas geográficas (Latitude/Longitude) do local. Para tal deve-se seleccionar o país e de seguida seleccionar as cidades disponíveis. O Autostar só tem Lisboa, mas para efeitos de configuração inicial já é suficiente.

Logo de seguida é perguntada a data e a hora. A hora pode ser inserida em dois formatos - HH:MM AM/PM ou HH:MM:SS (24h). Eu prefiro o segundo formato em que para as dez horas da noite insiro "22:00". O formato pode ser seleccionado seleccionando com as setas inferiores o AM/PM ou branco (formato 24h).

as_date as_time

De seguida pergunta se o "Daylight Savings Time" (Hora de Verão) está activo. Esta pergunta é bastante importante pois respondida incorrectamente faz com o Autostar aponte para o local onde o objecto estava uma hora antes ou estará daqui a uma hora conforme os casos. No verão deverá selecionar-se "YES" e no Inverno "NO".

as_daylight

O Autostar não tendo alimentação própria, uma vez desligado não consegue guardar/manter a hora e a data actualizada, para tal acontecer teria que possuir um pequena pilha interna um bocado à semelhança dos computadores pessoais, daí ser necessário inserir a data e a hora sempre que se liga o Autostar. Mas de qualquer modo guarda a data da última utilização, as coordenadas do local de observação entre outras configurações importantes.

De seguida geralmente surge a opção "Setup/Align", que é a opção que permite alinhar o ETX usando 1 ou 2 estrelas. Mas na primeira vez que o Autostar é utilizado é absolutamente necessário calibrá-lo e "treina-lo". Existem 3 métodos: "Easy", "One Star" e "Two Star".

O "Easy" escolhe automaticamente uma estrela brilhante que no momento se encontre visível, o que pode ser por vezes problemático pois a estrela pode estar escondida por detrás de algum prédio ou árvore.
Os métodos "One Star" e "Two Star" pedem primeiro para seleccionar de uma lista a estrela ou as estrelas pretendidas. O método mais eficaz e fiável é o último (Two Star) pois permite usa duas estrelas o que torna o alinhamento mais correcto.

NOTA: no caso de alinhamento por duas estrelas é importante que as estrelas estejam separadas por uma distância de pelo menos 90 graus (por exemplo a 3 ou 4 palmos de distância). Se forem selecionadas duas estrelas muito juntas poderá resultar em erro de alinhamento (Alignment Error) e voltar a fazer o alinhamento novamente.

as_alignstar
Setup->Align

Calibração de motores

as_calibramotors
Setup->Telescope->Calibrate Motors

Este é um procedimento simples e rápido (cerca de 5 segundos), em que o autostar faz o tubo mover-se na horizontal e na vertical. Deve-se executar antes de fazer o treino das drives.

Treinar Drives

as_tele_traindrive
Setup->Telescope->Train Drives->Train Alt
e Setup->Telescope->Train Drives->Train Az

Este procedimento deve-se executar sempre que se liga pela a primeira vez, quando se faz "reset" ao autostar, ou quando o ETX (correctamente alinhado) por alguma razão não esteja a acertar nos alvos, ou a fazer mal o acompanhamento sideral.
É também aconselhável executar periódicamente tipo 6 em 6 meses devido ao facto do rácio motores/engrenagens se alterar com o uso, e finalmente quando se faz actualização do software do autostar.

as_tele_train -> as_train3 -> as_train2

Com um bocado de prática este procedimento não deverá demorar mais que 5 minutos. Em caso de emergência (ex: de noite), pode-se utilizar a estrela polar para o treino, pois no intervalo de 5 minutos praticamente não se move.
Embora não considere absolutamente necessário, a utilização de uma ocular que amplifique mais pode ajudar, assim como desfocar a estrela de modo a que se assemelhe a um disco, sendo então mais fácil centrá-la no meio do campo. Outra opção, mas mais dispendiosa, é a utilização de um ocular com mira (semelhante ao apontador).

Refinar as coordenadas do local

as_site
Setup->Utilities->Site

O Autostar permite definir as coordenadas de latitude e longitude de locais de observação. Para tal pode-se adicionar locais customizados em "Setup->Telescope->Site->Add". Esta opção permite inserir o nome do local, latitude e longitude.

as_sitename -> as_sitelat ->
as_sitelong -> as_sitezone ->

Na longitude nas versões anteriores à versão 2.0 deve-se colocar o sinal '-', que corresponde a Oeste (West). No parâmetro "Time Zone" é '0' (zero) que é zona correspondente a Portugal (GMT).

Outros parâmetros a verificar

Verificar se o tipo de montagem está correcta.

as_setup_mount
Setup->Telescope->Mount

Verificar se o modelo de telescópio está correcto.

as_setup_tele
Setup->Telescope->Mount

Compensação de folga

as_setuoza
Setup->Telescope->Az Percent

As versões 2.1 e superior do Autostar tem duas novas opções na opção "Telescope" - "Az Percent" e "Alt Percent" que guardam valores em percentagem da compensação que o Autostar dá quando o telescópio se movimenta na direcção oposta à que estava a executar.

Tendo por alvo uma estrela brilhante ou até mesmo um objecto diurno, seleccione uma das opções anteriores - por exemplo "Alt Percent" - deve-se então selecionar uma velocidade moderada (3 ou 4) e fazer diversos pequenos movimentos para cima e para baixo e observar quando dá um salto. Deve-se alterar a percentagem até que a compensação esteja como deseja. Se o objecto se mover na direcção contrária deve-se então alterar para uma percentagem inferior à corrente.

Ligação a computadores

O autostar dispõe na base de uma porta de comunicações serial (RS232) que permite conectá-lo a outros computadores, nomeadamente PCs e Palmtops.

Felizmente que este protocolo/hardware de comunicações está universalmente disponível em quase todos os PCs de secretária, grande parte dos portáteis e alguns Palmtops.
No caso de portáteis e palmtops esta porta de comunicações tem sido substituída por portas USB, sendo necessário adquirir um adaptador que faça a conversão de USB para porta série.

O cabo #505

O cabo de ligação não é algo que se possa adquirir numa loja de informática, pois embora uma das fichas seja standard RS232 de 9 pinos ou de 25 pinos, a outra (a que se liga à porta do autostar) não é tão vulgar, havendo então apenas duas alternativas:

A primeira opção é de longe a mais segura e a mais cara e provavelmente será a mais adequada para quem não tem (ou não quer ter) experiência (pouca) a soldar uns fios.
A segunda opção é extremamente barata (até 5x mais barata) e requere algum à vontade a soldar. È um pequeno projecto interessante.

A "receita" é a seguinte:

Todos estes componentes encontram-se em qualquer loja de electronica e não deverão custar mais de 1000 escudos.

O esquema de ligação é o seguinte:

jerzewski
Ficha RJ11 - vista por baixo Ficha RJ11 - vista por cima
as_rj17down as_rj17up
Ficha DB9 - vista por dentro
verde e amarelo estão soldados no mesmo pino
Ficha DB9 - vista por fora
as_rs232 as_rs232f
Cabo #505 - (mau) aspecto geral
as_cable505

A maior dificuldade que se irá ter é a de cravar a ficha RJ, pois é necessário um alicate específico (geralmente caro) que não é vulgar de encontrar. Sugestão: Na loja onde adquire o material, peça para cravar a ficha RJ numa das pontas do cabo e se forem simpáticos peça ainda para soldar a ficha série na outra ponta - só é necessário soldar 3 fios.

Ligação a PCs e Portáteis

A conexão do cabo deve ser feita com o autostar e o PC desligado, embora pessoalmente não ligue a esta regra é a maneira correcta de o fazer, pois por muito remoto o risco que seja pode haver algum problema.
Os PCs geralmente têm disponíveis duas portas séries de 9 pinos. Os PCs mais antigos pode por vezes ter uma das portas com ficha de 25 pinos. A utilização de fichas adaptadoras de 9 para 25 pinos é de evitar, pois podem não passar todos os sinais, especialmente as fichas adaptadoras que vinham com os ratos série.

A ligação é simples. Ligar as fichas respectivas ao computador e ao autostar - não existe lugar para enganos EXCEPTO se ligarem a ficha destinada ao autostar ao próprio ETX através de uma das portas AUX (que indevidamente (e perigosamente) são iguais à porta do autostar).
Este engano pode DANIFICAR SÉRIAMENTE o ETX. Esta portas apenas podem ser utilizadas para ligar o focador eléctrico e outro acessórios opcionais.

Ligação a Palmtops

Para conectar um Palm Professional ou da Série III ao Autostar #497:

as_palm1 as_palm2

A nova geração de Palmtops tanto da Palm como os Pocket PC usam USB para comunicações, deverá então ser necessário adquirir um conversor USB -> para série.

Alinhamento

Posição Inicial Alti-Azimutal (Home Position)

Devido ao facto do ETX ter batentes tanto na base da montagem (movimento azimutal) como nos braços (movimento em altitude), torna-se necessário colocar o ETX na posição inicial em relação á sua própria base.

Executar os seguintes passos, de preferência antes de o montar no tripé.

  1. Estando o ETX à sua frente, deverá posicionar o painel de controlo à sua esquerda.
  2. Soltar a base e rodá-lo em sentido contrário dos ponteiros do relógio até bater no batente, não forçar.
  3. E finalmente rodá-lo no sentido dos ponteiros do relógio até o braço estar sobre o painel de controlo e tubo estiver a apontar para a frente, o que corresponde a rodar cerca de 120 graus.

Verificar se o tripé está devidamente configurado e alinhado. Em posição Altazimutal a cabeça do tripé deve estar na posição 90 graus.

as_tripe5

as_tripe1.

as_tripe4
as_tripe2as_tripe3
as_tripe6as_tripe7

Software

Autostar Update

Este é o utilitário de actualização da Meade que permite actualizar o software residente no Autostar e fazer a gestão das listas de objectos tais como cometas, asteróide e objectos definidos pelo utilizador e ainda para instalar as "tours".
Este programa está disponível para download na página de suporte da Meade em http://www.meade.com/support/auto.html. Geralmente vem incluído a última versão do software do autostar.

Em alguns computadores/configurações este programa pode ser problemático pois é frequente por vezes não funcionar muito bem. A sua instalação é simples bastando apenas descarregá-lo da Internet, instalá-lo e finalmente executá-lo (depois do cabo e o ETX estarem ligados.

O programa começa por testar a presença do autostar todas as portas de comunicações do computador (mau procedimento a meu ver) - se não encontrar verficar se o cabo está devidamente conectado e se o ETX/autostar está ligado. Se estiver tudo correctamente conectado e mesmo assim não o encontrar é porque o cabo pode ter algum fio trocado.

Este programa pouco deve à intuição no que diz respeito à interface com o utilizador, sendo sinceramente confuso, com diversos "bugs" e modos de funcionamento pouco claros.

Este é ecrâ inicial após ter encontrado o Autostar na porta COM1

as_update1

Ecran principal do programa de actualização. Pode-se adicionar asteróides. cometas e Satélites carregando np botão e preencher os valores requeridos. As tours apenas podem ser carregadas se "arrastar" o ficheiro da tour para cima do botão, o que é bocadinho para o invulgar.

as_update2

Este utilitário não tem quaisquer funções de contrôle do ETX, é apenas para actualização do autostar.

Skymap Pro

O meu atlas digital preferido. Embora não tenha o realismo (gráfico)dos programas abaixo, gosto da sua simplicidade e rapidez de execução. É muito configurável e com alguns ajustes fornece toda informação possível acerca de um determinado objecto.
Desde muito cedo que o skymap suporta o autostar (e bem), sendo essa uma das razões de o ter comprado. É um bom testador de cabos, bastando configurar a porta (COM1 ou COM2). Adicionalmente também serve para testar se as coordenadas dos objectos das "tours" estão correctas.
As funções disponíveis entre outras são ir a para objecto (slew), sincronizar relógios, sincronizar objectos etc. È importante salientar que o programa parte do pressuposto do ETX estar já previamente alinhado e a fazer seguimento.
O autostar e skymap não se atrapalham um ao outro, podendo-se inclusive fazer o seguimento do etx no skymap (representado por um cruz).

as_kymap

StarryNight Pro

O autostar é suportado por um programa externo (ACP) que actua como um plugin, tendo praticamente as mesmas funções do skymap e ainda outras como o motor de focador e de retículo iluminado.

The Sky

O autostar é suportado mas ainda não tentei pô-lo a funcionar. A impressão inicial é que me parece algo confuso, tentar primeiro os dos programas anteriores.

Uma outra aplicação - AstroArt 2.0 permite controlo de seguimento. Este tipo de software permite corrigir o telescópio com pequenos ajustes usando uma estrela "guia" que é captada por um câmara CCD ou webcam, sendo assim possível executar fotografias "piggy-back" auto-guiadas de longa exposição.

É de salientar que para qualquer programa que controle telescópios através de comandos compatíveis LX200 é muito provável que funcione bem com o autostar.

Ligação a Palmtops

A ligação do cabo a palmtops pode ser ligeiramente mais complicada, devido ao facto de quase nenhum possuir um ficha de comunicações standard (RS232 9 pinos), sendo necessário adquirir um cabo ou ficha adaptadora que forneça a porta com o formato da ficha do cabo.
No caso de palmtops com porta série especifica (Palms até à série IIIx) será necessário o cabo opcional de ligação ao modem, também chamado Modem Nulo, onde se pode ligar o cabo #505.
No caso de palmtops com porta USB será necessário um adaptador USB -> série.

Planetarium

Para os Palm existe até ao momento o Planetarium que pode ser descarregado em http://www.aho.ch/pilotplanets/.

Este programa a nível do autostar faz tudo o que primos maiores anteriores sendo só o número de estrelas e objectos é menor e claro a representação gráfica.

Esta configuração é extremamente simples de usar, nem sequer é preciso configurar, bastando tocar (tap) nos objectos ou estrelas e ordenar o ETX para ir para lá. É bem mais rápido de utilizar que o Autostar. É o sistema contrôle robótico computorizado de telescópios mais portátil (e Coool) do universo :). Este programa é perfeitamente compatível com qualquer sistema GOTO conhecido.

Também à semelhança dos programas anteriores, pressupõe que o ETX já esteja devidamente alinhado.

as_planetarium1 as_planetarium2 as_planetarium3
as_planetarium4 as_planetarium5 as_planetarium6

Também para o Palm existe um programa dedicado só para tracking de satélites artificiais.

Para os Pocket PC existe o Pocket Sky, que é a versão "mini-me" do the Sky. Nunca vi este programa a funcionar portanto não posso acrescentar mais nada, mas no entanto já li algures na Net que funciona bem com o autostar. Tendo a vantagem de ser a cores e de (provavelmente) ter mais objectos.

Tours

As "tours" não podem ser criadas no Autostar, é necessário escrevê-las num editor de texto (ex: bloco de Notas ou Notepad que vem incluído no Windows) e usar o software de actualização para as inserir posteriormente.

Pessoalmente, prefiro usar tours para fazer listas de objectos a observar. Geralmente organizo-as por constelação, e escolho os objectos (estrelas duplas, variáveis e objectos de céu profundo) pois permite adicionar uma descrição mais completa do que a que autostar disponibiliza.

Para executar uma Tour seleccionar a opção "Tours" e depois seleccionar a tour pretendida.
A passagem para o objecto seguinte é utilizando a tecla "MODE" e para mandar o ETX para o objecto premir a tecla "GOTO".
È só observar o objecto e ler a descrição que foi escrita na "linha 2".
O autostar sabe se o objecto está visível nesse momento, saltando automaticamente para o seguinte que esteja visível.

DICA: Para sair de uma tour premir a tecla "MODE" durante 3 segundos.

Algumas aplicações:

Eis um exemplo simples:

////////////////////////
// Isto é um comentario
////////////////////////
TITLE "LIRA" <- este é o título da Tour não pode exceder os 16 carateres
AUTO SELECT TEXT "Conteudo" "Objectos em Lira" <- escreve "Conteúdo" na primeira linha e "Objectos em Lira" na segunda linha
"Prima MODE para iniciar"
AUTO SELECT USER 18:53:36 +33h02m00s "Messier 57" "Nebulosa planetaria NGC 6720 mag:9.4 tamanho:86sx62s *:15.8 - também conhecida por Nebulosa do Anel (PK63+13.1)"
AUTO SELECT USER 19:16:36 +30h11m00s "Messier 56" "Enxame globular NGC 6779 mag:8.3 tamanho:5m - estrelas de magnitude 11 e superior"
AUTO SELECT USER 19:20:42 +37h51m00s "NGC 6791" "Enxame aberto mag:9.5 tamanho:16m n*:300 br*:13.0 classe:II 3 r - enxame impossível de resolver com o ETX90!"
AUTO SELECT USER 18:53:30 +36h55m00s "Steph 1" "Enxame aberto mag:3.8 tamanho:20.0m n*:15 br*:4.3 classe:III 3 p - também conhecido por enxame da Delta Lyrae"
AUTO SELECT TEXT "Fim." "." <- texto a dizer que terminou a tour.
#END

A sintaxe dos objectos é a seguinte:
AUTO SELECT USER HH:MM:SS +GGhMMm00s "linha 1" "linha 2..........."

em que:
HH:MM:SS é a coordenada ascensão recta (HH:00..23 MM:00..59 SS:00..59)
+GGhMMm00s é a declinação (+GG:-90..+90 MM:00..59) os segundos são sempre "00"

A "linha 1" tem de ter obrigatoriamente 16 caracteres
A "linha 2" pode ser de qualquer comprimento. O browser quebra as linhas automaticamente, mas as linha não pode ser quebrada - 1 comando por linha.

NOTA: nunca usar caracteres acentuados ou portugueses - não são suportados e dão erro ao processar.
Existem outros comandos disponíveis que podem ser encontrados ainda mais exemplos neste pdf.

Inserção de Tours

Para inserir as Tours no Autostar é necessário usar o programa da Meade "Autostar Update" que já foi anteriormente falado, basta arrastar o ficheiro para cima do botão "Tours" para instalar.

Os meus objectos espaço-profundo (deepsky) preferidos

Cada um destes tours contém estrelas duplas e nebulosas que achei que seria interessante ver com o ETX90. Estes objectos foram selecionados a partir da base de dados da Saguaro, versão 7.2, dos livros Night Sky Observer´s Guide , e do Observer's Sky Atlas.

Cada objectos tem a seguinte informação:
Estrelas duplas - nome, 2º nome, magnitudes do par, separação, ângulo-posição, espectro e notas adicionais.
Nébulas - nome, tipo de objecto,2º nome geralmente NGC, magnitude, brilho de superficie se aplicável, estrela mais brilhante (br*) se aplicável, magnitude da estrela central (CS) se aplicável, tamanho, classificação, descrição Dreyer (NGC),notas adicionais.

eng My favorite deepsky objects

Each one of this tours contains double stars and "nebulae" wich I found interesting observing with the ETX90. This objects were selected from Saguaro's database version 7.2, Night Sky Observer's Guide and Observer's Sky Atlas.

Each object has the following data:
Double Stars - Name, 2nd name, magnitude, separation, position angle, spectrum and additional notes
Nebulae - Name, type of object, 2nd name (NGC), magnitude, surface brightness (SB) if/app, brighest star (B*) if/app, central star magnitude (CS),size, classification, Dreyer description and additional notes.

Download all Tours (zip format 43Kb): alltours.zip 09-05-2001

Andromeda Cancer Circinus Draco Lacerta Musca Piscis Austrinus Taurus
Antlia Canes Venatici Columba Equuleus Leo Norma Puppis Telescopium
Apus Canis Major Coma Berenices Eridanus Leo Minor Octans Pyxis Triangulum
Aquarius Canis Minor Corona Australis Fornax Lepus Ophiuchus Reticulum Triangulum Australe
Aquila Capricornus Corona Borealis Gemini Libra Orion Sagitta Tucana
Ara Carina Corvus Grus Lupus Pavo Sagittarius Ursa Major
Aries Cassiopeia Crater Hercules Lynx Pegasus Scorpius Ursa Minor
Auriga Centaurus Crux Horologium Lyra Perseus Sculptor Vela
Boõtes Cepheus Cygnus Hydra Mensa Phoenix Scutum Virgo
Caelum Cetus Delphinus Hydrus Microscopium Pictor Serpens Volans
Camelopardalis Chamaeleon Dorado Indus Monoceros Pisces Sextans Vulpecula

Sky & Telescope (c) small-scope sampler

Este tours são constituídos pelos os objectos referenciados na secção "small-scope sampler" da revista Sky & Telescope. Para os guardar fazer "Gravar como..." ou "Save as..." em cima do link.

eng This tours files are based on Sky's & Telescope "small-scope sampler".Click "Save as..." to download.

ROM Autostar #497 v2.1EK

Diferenças

Estrelas de Alinhamento

Clicar na estrela mais próxima para informação detalhada. Esta tabela é para saber primeiro qual a constelação da estrela, e depois para ir treinando a classificação das estrelas segunda a sua classe espectral e cor veja aqui a tabela.

acamar alphard etamin procyon
acherna alpheka fomalhaut rasalgethi
acrux alpheratz hadar rasalhague
adara alshain hamal regulus
albireo altair izar rigel
alcor ankaa kaus australis sadalmelik
alcyone antares kocab saiph
alderbaran arcturus markab scheat
alderamin arneb megrez shaula
algenib bellatrix menkar shedir
algieba betelgeuse merak sirius
algol canopus mintaka spica
alhena capella mira tarazed
alioth castor mirach thuban
alkayd cor caroli mirphak unukalhai
almaak deneb mizar vega
alnair denebola nihal vindemiatrix
alnath diphda nunki  
alnilam dubhe phad  
alnitak enif pollux  

Sistema de Menus

Object Event Guided Tour Glossary Utilities Setup
  • Solar System
    • Mercury
    • Venus
    • Mars
    • Jupiter
    • Saturn
    • Uranus
    • Neptune
    • Pluto
    • Moon
    • Asteroids
      • Select
      • Add
      • Delete
      • Edit
    • Comets
      • Select
      • Add
      • Delete
      • Edit
  • Constellation
    • Andromeda
    • ....
  • Deep Sky
    • Named Objects
    • Galaxies
    • Nebulas
    • Planetary Neb.
    • Star Clusters
    • Quasars
    • Black Holes
    • IC Objects
    • NGC Objects
    • Caldwell Object
    • Messier Objects
  • Star
    • Named
    • SAO catalog
    • Double
    • Variable
    • Nearby
    • With Planets
  • Satellite
    • Select
    • Add
    • Delete
    • Edit
  • User Objects
    • Select
    • Add
    • Delete
    • Edit
  • Landmarks
    • Select
    • Add
    • Delete
  • Identify
  • * Browse
    • Start Search
      • Next
      • Previous
    • Edit Parameters
      • Largest (mins)
      • Smallest (mins)
      • Brightest (mag)
      • Faintest (mag)
      • Min. El. (deg.)
      • Object Types
        • Black Hole
        • Diffuse Nebula
        • Dark Nebula
        • Asterism
        • Elliptical Gal
        • Globular Clust
        • Irregular Gal.
        • Open Cluster
        • Planetary Nebu
        • Quasar
        • Spiral Galaxy
        • Galaxy
        • Unnamed
  • Sunrise
  • Sunset
  • Moonrise
  • Moonset
  • Moon Phases
    • Next Full Moon
    • Next New Moon
    • Next 1st Quarter
    • Next 3rd Quarter
  • Meteor Showers
    • Quandratids
    • Lyrids
    • Eta Aquarids
    • Delta Aquarids
    • Perseids
    • Orionids
    • Taurids
    • Leonids
    • Geminids
    • Ursids
  • Solar Eclipses
  • Lunar Eclipes
  • Min.of Algol
  • Autumn Equinox
  • Vernal Equinox
  • Winter Solstice
  • Summer Solstice
 
  • A...
  • B...
  • C...
  • ....
  • Timer
    • Set
    • Start/Stop
  • Alarm
    • Set
    • On/Off
  • Eyepiece Calc.
    • Field of View
    • Magnification
    • Suggest
  • Display Options
    • Sun Warning
    • Getting Started
  • Brightness Adj.
  • Contrast Adj.
  • Battery Alarm
  • Landmark Survey
  • Sleep Scope
  • Park Scope
  • Cord Wrap
  • Align
    • Easy
    • One Star
    • Two Star
  • Date
  • Time
  • Daylight Saving
  • Telescope
    • Telescope Model
    • Focal Length
    • Az Ratio
    • Alt Ratio
    • Mount
      • AltAz
      • Polar
    • *Az Percent
    • *Alt Percent
    • Train Drive
      • Az. Train
      • Alt. Train
    • Tracking Rate
      • Sideral
      • Lunar
      • Custom
    • Reverse L/R
    • ReverseUP/DOWN
    • CalibrateMotor
    • HighPrecision
      • On
      • Off
  • Targets
    • Astronomica
    • Terrestrial
  • Site
    • Select
    • Add
    • Delete
    • Edit
  • Owner Info.
    • Name
    • Address
  • Clone
  • Download
    • Catalogs
    • Software
    • All
  • Statistics
  • Reset

Objectos Definidos por utilizador

Desde a versão 2.0 da ROM que o Autostar permite ter até 64K bytes de memória disponível para definição de qualquer tipo de objecto, entre os quais asteróides, cometas, tours e outros objectos definidos por utilizador.
É necessário ter em atenção que os objectos atrás referidos partilham os mesmos 64Kb. Podemos "gastar" esta memória toda só com asteróides ou cometas, não havendo numero máximo de objectos por categoria, sendo o único limite a memória disponível.

Inserção Manual de Objectos de utilizador

Esta a forma adicionar um objecto "fixo": basta inserir o nome, as coordenadas de ascensão recta e declinação, magnitude e tamanho, sendo estes dois últimos meramente informativos. Exemplos de objectos são por exemplo estrelas duplas, estrelas variáveis, objectos de espaço profundo que não estejam nos catálogos e também as coordenadas Ra/Dec correntes de algum cometa que esteja visível. Note-se que nas coordenadas Ra apenas se pode inserir a hora e os minutos e na declinação os graus e os minutos de arco com ponto decimal (de .0 a .9).

Inserção Manual de Asteróides

Inserção Manual de Cometas

A inserção de cometas usando a lista mais actualizado IAU www???????

Quando tudo corre mal

Actualização em Modo de Segurança (SAFE LOADER MODE)

Se o Autostar por algum motivo ficou inutilizável, de modo que não consiga aceder à opção de Menu "DONWLOAD", pode usar a o "SAFE LOADER" que está disponível desde a versão 1.1j.

Executar os seguintes passos para entrar em modo "SAFE LOAD":

Deverá ver a mensagem "FLASH LOAD READY" no visor. Proceder então à actualização do software.

Catálogos

Estão disponíveis para download os seguintes catálogos em formato Adobe Acrobat (PDF) PC/MAC/LINUX. Este formato é universal e está prontinho a imprimir.

Para guardar uma cópia fazer "gravar como ...."

PC/MAC/*NIX
Catálogo de Messier (25 Kb) eng Famoso catálogo de Charles Messier
Catálogo de Caldwell (21 Kb) eng  
Catálogo SAA100 (sci.astro.amateur) (22 Kb) eng 26-10-2000 A lista de melhores objectos segundo o newsgroup sci.astro.amateur
Efemérides dos Satélites jovianos (17 Kb) 13-11-2000 Todos as ocultações, trânsitos de sombra e satélites, etc, para a temporada 2000/2001. Precisão de 1 minuto.
PalmOS
Catálogo de Messier (messier.pdb 20Kb) Contém o catálogo de Messier.Formato Jfile (3.0+)
Catálogo de Caldwell (caldwell.pdb 18Kb) Contém o catálogo de Caldwell. Formato Jfile (3.0+)
Catálogo de Messier/Caldwell (messcald.pdb 36Kb) Contém o catálogo de Messier e Caldwell. Formato Jfile (3.0+). São os catálogos acima num só ficheiro para melhor referência.
Constelações (constela.pdb 5Kb) .Contém o nome, origem latim,abreviatura, nomes ingleses e portugueses das 88 constelações. Formato Jfile (3.0+).
Notação Dreyer (dreyer.pdb 4Kb) Contém o significado das letra(s) utilizadas para descrever objectos celestes.Formato Jfile (3.0+)
Siglas de Catálogos (catalog.pdb 4Kb) Contém o significado das siglas dos catálogos existentes.Formato Jfile (3.0+).
   

Todos os Catálogos têm o seguinte formato:
Número de Catálogo, Nome Popular, Tipo, Magnitude, Constelação, Tamanho, Número da Carta do livro Messier Marathon (apenas no messier), Número da Carta Sky Atlas 2000.0, Número da Carta Millenium, Número da Carta da Uranometria 2000.0, Número de catálogo NGC/IC, Ascensão Recta, Declinação, Classificação, Descrição Dreyer e Notas.

Usando o ETX

Este é o equipamento que actualmente utilizo nas observações. Está "optimizado" para levar tudo numa só viagem e ocupar o mínimo do espaço possível.

etxsetup
Panorâmica geral
Da esquerda para a direita:
  • Banco regulável em altura
  • Mala de transporte almofadada do ETX. Nesta mala também serve para levar o autostar, os pés anti-vibração, o quickfinder,o controlador kendrick, filtro solar e alguns livros e mapas.
  • Tripé "Deluxe" com pés anti-vibração e grampos. Uma bussola está pendurada a meio. Montado entre o ETX eo tripé está um "prato" que é mais uma ajuda para solidez final da montagem, pois dá maior base de apoio à base de plástico do ETX que é algo flexível.
  • Encostada a uma pernas do tripé está a bateria de 12V 7amph
  • Em frente um estojo "Six-pack" da Camping-Gaz, que serve para transportar e proteger as oculares, filtros e outros pequenos acessórios.
  • Tripé Gitzo 1224 - Tripé multifunções de viagem. Serve para fotografia, observação binocular e para o ETX.

etxsetup etxsetup
Os pés anti-vibração da Celestron - reduzem em muito o tempo de estabilização da imagem e tornam mais fácil nivelar o tripé especialmente em terreno mole. Grampos para tornar o tripé mais rígido. Provavelmente era aconselhável ter alguma proteção na zona de aperto para não vincar como a fotografia está a mostrar...

etxsetup etxsetup
Uma das maneiras de fixar o autostar usando velcro. Cada perna de tripé tem uma fita colada (a branco) para mais fácil Papel autocolante bem visível para por o tubo o mais possível na horizontal, que é necessário para a posição inicial de alinhamento (alt-azimutal).

etxsetup etxsetup
Esta bateria de 12V e 7amph é a meu ver obrigatória para quem utiliza regularmente o ETX. Dá ao ETX uma autonomia enorme, além de ser menos sensível à temperatura exterior. O Kendrick Dew-Remover - Esta é a fita do sistema de eliminação de humidade. Geralmente não é necessário ligar, mas quando é realmente preciso é uma benção...

etxsetup etxsetup
Este prato de chapa metálica tem duas funções: Tornar o ETX mais estável e porta-oculares ou autostar. Esta chapa fazia parte de um velho candeeiro de tecto. O "prato" em ação. Reparar na diferença de tamanho da Radian de 14mm (ao meio) contra a Kasai ortoscópica de 12.5mm...
etxsetup etxsetup
O "six-pack" térmico da Camping-Gaz completamente atulhado de oculares, filtros tampinhas, lenspens e outras miudezas. Este estojo tem correias para fácil transporte. Este tripé é pau para toda a obra. Embora nas especificações diga que "aguenta" 8 quilos, é apesar disso um bocado mais flexível que o tripé da Meade, mas no entanto perfeitamente aceitável, especialmente com o "prato" e pés anti-vibração. Este tripé pode chegar a estratosférica altura de 1,90 metros que dá para montar o binóculo numa posição confortável. É um Gitzo (o pessoal da fotografia sabe o eu quero dizer..)
etxsetup etxsetup
Duas vistas do tubo óptico. Os opcionais motor eléctrico do focador, apontador de 90 graus 8x25, o quickfinder e a fita do desumidificador Kendrick. De frente dá para apreciar as "coatings" e os controles do para mim indispensável QuickFinder da Rigel