Glossário

- A -

Abertura
A abertura é o diâmetro da óptica primária de um instrumento óptico. Geralmente é expresso em milímetros, centímetros e mais usualmente em polegadas ( 1 pol = 2.54 cm). Em regra, quanto maior for a abertura, mais brilhante e definida será a imagem. No caso de um telescópio refractor é o diâmetro da objectiva da frente, nos reflectores e catadióptricos é o diâmetro do espelho primário.

Afélio
Ponto de uma órbita à volta do Sol em que o objecto (ex:planeta, cometa) se encontra mais distante. Ver Periélio.

Ascensão Recta
Coordenada do sistema Equatorial de Coordenadas Celestes. Varia entre 0 e as 24 horas, sendo 0 horas no ponto de Aries

Apogeu
Ponto de uma órbita à volta da Terra em que o objecto (ex:Lua) se encontra mais distante. Ver perigeu.

- C -

Conjunção
Momentos em que dois corpos celestiais ocupam a mesma posição no céu, ou quando partilham uma das coordenadas quando vistas de um determinado local

- D -

Distância Focal
É a distância que vai da lente objectiva ou espelho primário ao ponto focal onde os raios de luz convergem. Nos telescópios reflectores e catadiopticos esta distância depende da curvatura dos espelhos, em que uma curva mais acentuada resulta numa distância focal mais curta. Nos telescópios refractores depende das curvas das lentes e do tipo de vidro utilizado. É geralmente expresso em milímetros, centímetros ou polegadas.

Declinação
Coordenada do sistema Equatorial de Coordenadas Celestes. Varia entre 0 +90 e 0 a -90, a partir do equador celeste.

- L -

Luminosidade
È o total da energia emitida por uma estrela para o espaço. Não tem nada a ver com a aparência mais ou menos brilhante de uma estrela, pois se tiver bastante distante uma estrela com maior luminosidade parecerá mais fraca.

- M -

Magnificação
É o número de vezes que uma imagem é ampliada. A magnificação muitas vezes é tida como parâmetro de compra de telescópios, na impressão que quanto mais vezes ampliar melhor é o telescópio. ERRADO!. Realmente QUALQUER pode ter magnificações que vão das 10x até 1000x!, mas existe um limite prático para o máximo de magnificação que um determinado telescópio pode ter teoricamente ter em condições ideais de observação , que é de 60X por polegada de abertura. Clicar aqui para ver cálculo de magnificações. A magnificação útil, ou seja com imagem razoavelmente definida, depende da qualidade/tamanho dos espelhos ou lentes do telescópio, das oculares, das condições atmosféricas e também da nossa vista. No caso do ETX90 raramente ultrapasso as 132x, com excepção dos planetas que posso ir até às 250x e a Lua que algumas vezes chego a ter 400x!.

Magnitude
Escala pela qual se mede a magnitude absoluta ou a magnitude aparente de um objecto. Esta escala é baseada na definição que que uma estrela de magnitude n é 2.512 vezes mais brilhante que uma estrela de magnitude n+1. Ex: uma estrela de magnitude 2 (por exemplo a Kochab em Ursa Menor ) é 2.512 mais brilhante que a Pherkad de magnitude 3 e 6.31 vezes mais brilhante que a Zeta UMi de 4 de magnitude e cerca de 16 vezes mais brilhante que Eta UMi de magnitude 5. Estas quatro estrelas forma o corpo da Ursa Menor. Ver página de Fórmulas e Cálculos.para mais informações.

Magnitude Absoluta
É a medida real ou intrínseca do brilho de uma estrela. Por outras palavras a verdadeira quantidade de luz que uma estrela emite.O valor corresponde ao brilho de uma estrela a uma distância de 10 parsecs (32.6 anos-luz). O nosso Sol teria uma magnitude absoluta de +4.83, que o ainda tornaria visível a olho nú, ao passo que a estrela Sirio da constelação de Cão Maior que é mais cerca de 21x mais luminosa já teria uma magnitude absoluta de +1.45. Para se saber a magnitude absoluta é necessário saber a que distância se localiza.

Magnitude Aparente
É o valor do brilho aparente de uma estrela, ou seja, o brilho que aparenta ter quando a observamos directamente quer à vista desarmada, ou com instrumento óptico. O nosso Sol, tem uma magnitude aparente de -26.8, ao passo que Sirio que embora seja mais luminosa que o Sol tem apenas -1.46 devido à distância de 8.6 anos-luz a que se encontra. Quando geralmente ouvimos falar de magnitude de uma estrela ou objecto, é a magnitude aparente que se está a referir.

Meridiano
Círculo na esfera celeste que liga ambos os pólos. Um corpo celeste aransitar o meridiano (local) significa em a astronomia atravessar o ponto mais alto no seu caminho aparente, logo mais favorável à sua observação.

- N -

Nadir
Ponto na esfera celeste exactamente abaixo do observador. O oposto de zénite.

- O -

Oposição
Momento em que dois corpos celestiais ocupam posições opostas no céu, ou têm longitudes diferentes de 180 graus, quando vistos de um determinado local.

- P -

Paralaxe
Corresponde ao deslocamento aparente de um objecto próximo em relação a objectos mais distantes quando visto de pontos diferentes. A paralaxe anual é usada para medir distâncias de estrelas até 300 anos-luz, em que é medido o deslocamento aparente da estrela em dois pontos da órbita da Terra separados por 6 meses. Um exemplo simple de paralaxe: virar contra uma parede colocar a mão a 20 cm da face e observar alternadamente com olho direito e esquerdo - nota-se que a mão parece não estar no mesmo sítio, o ângulo desse deslocamento em relação à parede é a paralaxe.

Parsec
Unidade (pc) de distância equivalente a 3.26 anos-luz. 1 parsec é a distância que uma estrela tem se tiver uma parallax anual de 1 segundo de arco.

Perigeu
Ponto de uma órbita à volta da Terra em que o objecto (ex:Lua) se encontra mais próximo. Ver apogeu.

Periélio
Ponto de uma órbita à volta do Sol em que o objecto (ex:planeta,cometa) se encontra mais próximo. Ver afélio.

- T -

Tempo Universal

(TU) UTC


O tempo universal está relacionado com o movimento(aparente) do Sol no meridiano de Greenwich (longitude 0). O TU serve de base à hora legal de Inverno da Grã-bretanha, e também de Portugal continental. No Verão é adicionada 1 hora à hora local para ajustar melhor as horas de luz com o período de trabalho. O nosso planete é dividido em zonas horárias que correspondem à UT adicionada em n horas a Este de Greenwich e subtraída de n horas a Oeste de Greenwich. É conveniente usar a a UT para cálculos de eventos astronómicos, pois é simples calcular a hora local.

Terminador
É a fronteira entre a luz e a sombra, ou entre o dia e a noite, num corpo que não emite a sua própria luz.

- U -

Unidades Astronómicas (UA)
Unidade usada para medir distâncias no Sistema Solar. 1 UA é igual a 149,597,870 kilometros que é a raio médio da órbita da Terra

- Z -

Zénite
Ponto na esfera celeste exactamente acima do observador.O oposto de nadir.